“A falta de perdão pode ser um obstáculo para que vejamos os céus abertos”, diz o pastor Márcio Valadão.
1236899_302464113227798_154195668_nMuitas pessoas me dizem que oram muitas horas por dia, mas a oração não é medida pela quantidade de horas, a vida de oração é medida pelas respostas à oração. Há momentos que elas dizem: “Por que oro e parece que não tenho resposta? Por que muitas vezes clamo e parece que a resposta não chega? A Palavra do Senhor diz sobre o amor do Senhor e da sua fidelidade. A vontade de Deus é que toda oração tenha resposta, mas algumas vezes, parece que os céus são de bronze, e quando olhamos para o chão, parece que tudo que plantamos na vida, não floresce, parece que o chão é de ferro.
Os céus não são de bronze de forma literal, nem a terra será de ferro, mas nossas orações não passarão, simbolicamente, é como se nada brotasse. Outras pessoas ao seu redor podem estar vivendo uma condição diferente, céus abertos e terra fértil. Significa que as orações deles estão chegando ao mundo espiritual e as bênçãos têm chegado.
A falta de perdão pode ser um obstáculo para que vejamos os céus abertos. Não veremos céus abertos se estivermos com o coração cheio de ódio, amargura, sem perdão. Por isso, Jesus nos pede para orarmos: “Perdoa as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores”.Sem perdão não há terra fértil, nem céus abertos. Pedro certa vez teve dúvidas quanto à quantidade que se deve perdoar e Jesus lhe respondeu: “Até setenta vezes sete”.
Amado (a), para que você tenha sempre os céus abertos e a terra fértil, tenha um coração leve, livre de mágoas ou ressentimentos. Perdoar é uma escolha. Ao contrário do que muitas pessoas dizem, perdoar não é esquecer, porque nunca esqueceremos. Perdoar significa não levar em conta.
Para que nunca você viva a falta de resposta às suas orações, não permita que seu coração endureça. Tenha sempre uma página em branco assinada por você com o perdão. Não espere que o outro mude de comportamento para perdoá-lo. Perdoar é uma atitude, relacionamento é outra coisa.
Em Provérbios, capítulo 10, verso 12, a Palavra do Senhor diz: “O ódio excita contendas, mas o amor cobre todas as transgressões”. As pessoas podem pisar, caluniar você, mas você não pode pagar na mesma moeda. Jesus disse: “Ouvistes que foi dito: Olho por olho, dente por dente. Eu, porém, vos digo: não resistais ao perverso, mas, a qualquer que te ferir na face direita, volta-lhe também a outra; e ao que quer demandar contigo e tirar-te a túnica, deixa-lhe também a capa. Se alguém te obrigar a andar uma milha, vai com ele duas. Dá a quem te pede e não voltes as costas ao que deseja que lhe emprestes” (Mateus 5.39).
Lance fora o pecado, a iniquidade do seu coração, da sua vida. “Se eu contemplar a iniquidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá”. Viva sem preconceitos em todos os seus relacionamentos. Não julgue ninguém, você não é o juiz. Nunca diminua as pessoas, desfazendo delas, como se fossem piores do que você, procure vê-las como uma bênção na sua vida. Não ignore o pobre. Não ande segundo os mandamentos dos homens, nem tampouco abra o seu coração para a autocondenação. Que não haja, jamais, o desrespeito ao seu cônjuge.
Hoje é um novo tempo para você, querido (a). O que faz o céu se abrir e a terra ser fértil são as nossas atitudes. Não existe nada que venhamos receber que não seja pela graça. A graça de Deus é tudo o que precisamos, mas não merecemos. Tome posse dessa realidade.
Deus abençoe!
Fotos: Jean Assis