28 de maio de 2012

Crendo em meio ao desapontamento




“Ainda que a minha carne e o meu coração desfaleçam; mas Deus é a fortaleza do meu coração, e a minha porção para sempre.” (Salmos 73:26)

Nossa jornada terrena tem prazo e tempo para que se cumpra. No seu decorrer, vamos ter que passar por vales e montanhas, uns maiores e outros menores. O alvo do Salvador é nos forjar para a vida eterna. O preparo deve começar com o pé no chão, bem em nós mesmos, aceitando o fato de que, mesmo tendo Jesus e um Deus magnífico e Todo Poderoso, não seremos privados de apertos, desafios, catástrofes, lutas e doenças que querem nos assolar.

Deus, em Sua infinita sabedoria, projetou nossa caminhada assim. Precisamos sair da meninice espiritual e deixar de acharmos que somos inalcançáveis por “tais dardos” do inimigo ou que o Eterno nos protegerá de qualquer perturbação na vida.

Tal mar de rosas não existe nos verdadeiros compêndios bíblicos. Um maravilhoso exemplo disso é o rei Davi. Quem diria que um homem de tamanha importância entre os patriarcas bíblicos e rodeado de promessas e bênçãos intermináveis amargaria tanto na vida. 

É fácil não percebermos seus sofrimentos, mas ele sofreu e muito. Teve colheitas na vida e ministério que lhe custaram grandes dores. Ele teve que lidar com mortes, incesto e estupro entre seus filhos, confusão, ódio e assassinatos entre os irmãos (Amnom, Absalão, Adonias), além de um big filho rebelde que queria matá-lo para ficar com seu trono e herança. Que bela novela para os dias de hoje!

Nem sempre gostamos de ser treinados, especialmente se temos que sofrer

1. Deus tem controle de tudo que se passa ao nosso redor
“E ele muda os tempos e as estações; ele remove os reis e estabelece os reis”. (Daniel 2:21)

Nossas vidas são permeadas de estações pelas quais atravessamos. Deus trabalha através de ciclos e estações em nossas vidas. Assim como Ele usa estações da natureza para abençoar e manter o ecossistema, trazendo equilíbrio ao Planeta, Ele faz uso de tais recursos para nos aperfeiçoar e nos amadurecer, trazendo-nos equilíbrio enquanto indivíduos, e tornando-nos mais gente do céu e menos da terra.

“Tudo fez formoso em seu tempo” (Eclesiastes 3:11). Nossas vidas possuem ciclos. O tempo vai passar, as coisas vão e vêm, situações novas e ruins acontecerão cíclica e constantemente. 

Vamos sempre estar diante de novos fatos e estações em nossas vidas. As pessoas mudam, as crianças crescem, o mundo evolui, nada nesta terra é estático. Cada época, tempo e estação na nossa curta caminhada na Terra passa pelas mãos do Criador. 

Na Primavera de nossas vidas, vivemos as estações das flores, alegria, vigor, novos caminhos e conquistas, fases novas. Temos a impressão de que o Planeta nos pertence e ninguém vai tomá-lo de nós, pois estamos em constantes conquistas. 

Na chegada do Verão, podemos ver o tempo de frutos, realizações em vida que passam a florescer também. O sol da justiça brilha sobre nós. Deus nos aquece, temos novo ânimo e sempre a perspectiva de que amanhã o sol vai brilhar de novo. 

No Outono, estação transicional para o Inverno, alguns desafios começam a permear nossas vidas. Alguns projetos não dão certo. O sol não brilha como outrora, as chuvas vêm com mais frequência (parecem que destrói o que plantamos), e um frio gélido que invade o coração nos assusta diante de projetos não conquistados, doenças inesperadas ou crises financeiras batendo à porta. A natureza para. Parece que tudo parou. A vida pode perder o brilho, a alegria da conquista parece congelar-se ao longo do caminho, as dores e os desafios podem nos deixar desprotegidos daquela fé que cremos que Deus vai agir a nosso favor.

As diferentes estações em nossas vidas servem para forjar o nosso caráter e produzir fruto no momento certo. Em cada estação que passamos, estamos mais resistentes e mais maduros para dar continuidade à vida, do jeito como o Criador projetou, por isso não dá para fugirmos disso. Sem as estações, não poderíamos existir nem produziríamos os frutos de justiça previamente projetados a nosso favor.

2. Somos uma obra inacabada diante de Deus
“Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo” (Filipenses 1:6)

Precisamos ser cristãos que desenvolveram resiliência em nossas vidas. Para a física, resiliência é a capacidade de um material se deformar e voltar ao estado normal depois de ter sofrido uma prensa. Exemplo: a borracha que estica e volta ao seu estado normal. Para as ciências humanas, é a capacidade do ser humano possuir um comportamento sadio, mesmo em meio a um ambiente difícil e complexo. É a habilidade de superar, sobrepor, construir-se positivamente frente às adversidades. 
Resiliência é uma condição cristã de total confiança em Deus diante das adversidades da vida. Não estamos isentos de passarmos por elas: mortes, angústias, tragédias humanas, perseguições, perda inesperada de entes queridos. É uma condição de superar as dores, as angústias e não ficar prostrado, não ficar paralisado diante do medo e da vergonha dos sofrimentos e dores. 

Nosso olhar para o céu confirma nossa certeza de que Deus tem controle de tudo e que Ele visa o treinamento do nosso caráter até mais que nosso bem-estar e conforto. Que Ele Se preocupa mais com onde eu vou passar a eternidade do que com os confortos momentâneos que este mundo pode oferecer. 

As estações em nossas vidas têm diferentes impactos
“No dia da prosperidade, goza do bem, mas no dia da adversidade, considera; porque também Deus fez a este em oposição àquele, para que o homem nada descubra do que há de vir depois dele.” (Eclesiastes 7:14)

O que fazer no dia da adversidade?

1. Retome as forças em Deus, fortaleça-se no Senhor
“...e todavia Davi se fortaleceu no Senhor seu Deus.” (I Samuel 30:6)  
Em meio a grandes crises e angústia que Davi passou, ele retomou suas forças em Deus. Devemos retomar nosso homem interior, recompor nossas emoções, soerguer-nos diante dos fatos e crises da vida. Pois Ele é sempre nosso auxílio e vai nos dar a vitória. Vamos criar músculos espirituais e criar resiliência em nosso caráter de servos do Altíssimo.

2. Encare os fatos como eles são e entenda que eles precisam de uma solução
“E disse ele: Vivendo ainda a criança, jejuei e chorei, porque dizia: Quem sabe se DEUS se compadecerá de mim, e viverá a criança? Porém, agora que está morta, porque jejuaria eu? Poderei eu fazê-la voltar? Eu irei a ela, porém ela não voltará para mim.” (II Samuel 12:22,23)

O rei Davi, diante da morte do seu filho recém-nascido, entendeu que Deus estava em pleno controle. Apesar de ter se humilhado com jejuns e orações, todavia Deus não o atendeu e fez como quis. Na hora da crise, não adianta discutir com Deus. Encare os fatos, reelabore-se e continue suas conquistas mesmo que isso requeira um grande recomeçar. “Se te mostrares fraco no dia da angústia, é que a tua força é pequena”. (Provérbios 24:10)

Apóstolos Arão e Ester Amazonas

Eu declaro que vou viver dias de alegria, de paz de saúde, de prosperidade, de amor. Nesses dias, o Senhor mudará a minha sorte e a minha boca se encherá de riso e minha família viverá o melhor de Deus. Em nome de Jesus!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pense

Momentos difícies em nossas vidas podem acontecer a qualque momento. Mas será que sabemos como vamos passar por eles?
Deus amou tanto o mundo de tal que enviou Jesus, através de sua obra redentora podemos alcançar a vitória em todas as áreas de nossas vidas. Restauração familiar, restauração de vidas. Deus quer transformar suas cinzas em Beleza.

"O Espírito do Soberano Senhor está sobre mim porque o Senhor ungiu-me para levar boas notícias aos pobres. Enviou-me para cuidar dos que estão com o coração quebrantado, anunciar liberdade aos cativos e libertação das trevas aos prisioneiros,para proclamar o ano da bondade do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; para consolar todos os que andam tristes,e dar a todos os que choram em Sião uma bela coroa em vez de cinzas, o óleo da alegria em vez de pranto, e um manto de louvor em vez de espírito deprimido. Eles serão chamados carvalhos de justiça, plantio do Senhor, para manifestação da sua glória. Is 61.1-3".