12 de dezembro de 2012

Céus de cura para sua casa





Céus de cura para sua casa
"Clama em alta voz, não te detenhas, levanta a tua voz como a trombeta e anuncia ao meu povo a sua transgressão, e à casa de Jacó os seus pecados" (Is 58:1).

As pessoas são curadas mediante a profecia que liberam, por isso precisamos aprender a profetizar. Profetizar é tomar a boca de Deus emprestada e falar o que Deus fala.

Para que a cura se manifeste dentro da sua casa, você precisa falar palavras que estejam em linha com a Palavra de Deus. Então a sua cura virá depressa. Haverá um milagre em sua casa por intermédio da sua boca.

A conseqüência do que falamos é a manifestação de um milagre ou de uma maldição, de uma solução ou de um problema. O que você quer: milagres ou maldições? Claro que milagres. Então aprenda a caminhar pelas regras divinas.

Precisamos aprender a conversar as coisas certas em lugares certos para que causem impacto. A maioria de nós, para promover algo dentro do nosso relacionamento social, físico, intelectual, emocional, precisa fazer um exercício de vocábulos.

Não é qualquer lugar que favorece certos tipos de linguagem. Por exemplo: se você estiver na sala de aula, encontrará grupos que falam palavrões, outros mais educados, outros que falam alto demais.

Em nosso trabalho, conhecemos pessoas fiéis, outras infiéis. E existem pessoas que convivem conosco e nós não as conhecemos. Assim como existem cônjuges casados há anos que não se conhecem, e vivem um relacionamento enfermo, marcado pelas transgressões de Jacó.

É por isso que precisamos ter a consciência de que fomos chamados para arrancar essas transgressões. Mas que tipo de transgressões são essas? É o que veremos agora.

Transgressões

1. Mentira entre os cônjuges

Toda mentira entre os cônjuges precisa acabar. Com sabedoria, arranque a mentira da sua casa. Na maioria das vezes, um cônjuge não é verdadeiro com o outro nos sentimentos. Amar é mais uma atitude do que um discurso. O amor é muito mais respeitado quando é agido do que quando é falado, embora seja necessário falar e agir. Não diga que ama por pressão.

Tenha diálogos francos com seu cônjuge, sem rispidez, mas com sinceridade. Faça exercícios de declarações de amor todos os dias para seu cônjuge, na frente dos filhos, para que estes se sintam seguros. Fale a verdade sempre e mande embora todo espírito de mentira.

2. Deslealdade nos compromissos assumidos entre o casal

A deslealdade nos compromissos entre o casal causa muitos dissabores no relacionamento. Quando você fizer qualquer promessa ao cônjuge, cumpra-a. Não esqueça suas promessas, nem finja que as esqueceu. Alimente-as e você nunca esquecerá delas. Deus não esquece as promessas que faz aos Seus filhos; Ele sempre as cumpre.

Tenha a integridade de cumprir as promessas que faz. Se houve esforço, mas não foi possível cumprir as promessas, ou só foi cumprida uma parte delas, saiba dialogar com o cônjuge para que entenda a situação e busque meios para sanar o compromisso, mas nunca deixe incompleto o cumprimento da promessa.

3. Usurpação de direitos conjugais

A Bíblia diz em I Coríntios 7 que o desejo do marido é para a sua mulher e o desejo da mulher é para o seu marido: "O marido pague à mulher o que lhe é devido, e do mesmo modo a mulher ao marido. A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido; e também da mesma sorte o marido não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim a mulher".

Marido e mulher devem se honrar, tanto no físico, como no emocional e espiritual, sustentando as rédeas da casa, orando pela prosperidade da família, cobrindo os filhos em oração.

Quando o casal conhece a Deus e não está fazendo isso, está usurpando o direito do cônjuge. Não faça votos nem alianças de se abster da relação sexual antes de consultar o cônjuge.

Votos e alianças de pessoas casadas só têm validade se o marido disser o sim. Não negue ao cônjuge os seus direitos conjugais. Entre muitos casais cristãos a mulher tem vergonha de procurar o marido e muitos homens são acanhados na relação, porque o marido tem dado nomes pejorativos para a esposa ou porque a mulher tem-se negado ao marido. Por conta disso, muitos maridos e mulheres têm sido empurrados para o adultério.

Não existe motivo para que os direitos conjugais sejam negados, "senão de comum acordo por algum tempo, a fim de vos aplicardes à oração e depois vos ajuntardes outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência" (I Co 7:5).

A Bíblia fala de sexo como fala de adoração. Nós é que somos maliciosos e maldosos e sujamos a santidade da relação sexual no casamento. A Bíblia fala sobre relação sexual, mas não falta a santidade. Deus quer que tenhamos saúde sexual dentro dos princípios do Reino.

4. Desejo do que não é nosso

Desejar o que não é nosso é pecado. Portanto, não coloque os olhos em coisas que não lhe pertencem, querendo que o cônjuge fique anulado porque a mídia incentiva a prostituição, o adultério. A Bíblia diz que a prostituta sofre por um pão de dores, mas a mulher adúltera procura um homem de valor (Pv 6:26). Homens de Deus, que têm valor, não procuram prostitutas, mas devem ficar alertas quanto às adúlteras, que podem querer lhes derrubar.

Marido, nunca pense que está imune às tentações, quebre qualquer laço de adultério, porque você tem a integridade e não usurpará o direito da aliança que fez com a mulher da sua mocidade.

Esposa, cumpra as suas funções, sem violentar o seu corpo; cumpra com alegria e submissão às solicitações do seu esposo, porque ele, segundo a Bíblia, vale muito para a mulher adúltera. Não empurre o seu marido para a prostituição nem para o adultério.

Como arrancar essas transgressões:

1. Grite com toda a força
“Clama em alta voz, não te detenhas, levanta a tua voz como a trombeta e anuncia ao meu povo a sua transgressão, e à casa de Jacó os seus pecados.” (Is 58:1)

Esse grito não está retratado a um grito físico. É o grito da atitude, é falar: "Deus, sara o meu casamento!" Se existe alguma área no seu casamento que não está sarada e você ainda não viu a cura brotar sem detença, grite em plenos pulmões, lembrando a Deus Suas promessas, e Ele fará vir a cura sem demora.

2. Erga sua voz como trombeta
“Clama em alta voz, não te detenhas, levanta a tua voz como a trombeta e anuncia ao meu povo a sua transgressão, e à casa de Jacó os seus pecados.” (Is 58:1)

Trombeta é shofar. O shofar representa a voz de Deus. Proclame o que o respalda na palavra. “Então clamarás, e o Senhor te responderá; gritarás, e ele dirá: Eis-me aqui. Se tirares do meio de ti o jugo, o estender do dedo, e o falar iniquamente...” (Is 58:9).

Comece a fazer confissões das promessas de Deus para o seu casamento. Ore a Palavra. O shofar significa o toque para um território ser conquistado, para uma causa ser ganha, sob o comando de Deus. O problema é que queremos resolver tudo com a nossa sabedoria e já sabemos que problemas de casamento só se resolvem com a Palavra de Deus.

A sua casa não é casa de Jacó. Sua casa é o Israel de Deus. Clame em alta voz denunciando as áreas que precisam de cura e, sem detença, o Senhor fará o milagre. "Então clamarás, e o Senhor te responderá; gritarás, e ele dirá: Eis-me aqui" (Is 58:9).

Eu declaro que vou viver dias de alegria, de paz de saúde, de prosperidade, de amor. Nesses dias, o Senhor mudará a minha sorte e a minha boca se encherá de riso e minha família viverá o melhor de Deus. Em nome de Jesus!


11 de dezembro de 2012

Casamento: Uma aliança de excelência - Parte 2




Verdadeiramente podemos afirmar que o casamento é uma aliança de excelência. Nessa aliança, encontramos aspectos fundamentais que devem marcar o caráter e a personalidade do homem e da mulher.

O homem de excelência deve ter a persistência do guerreiro. E, para ser guerreiro, não importa a idade dos dois ou o tempo em que estão casados. Afinal, independente de idade, tanto o homem quanto a mulher continuam sendo, um para o outro, o homem e a mulher da aliança.

A mulher é o adorno, a beleza do lar para o marido e para os filhos. Quando Deus a criou, chamou-a para ser contígua e idônea; e um casamento não pode perder a idoneidade.


O homem de excelência
"Muitos procuram sua própria glória, mas o homem de excelência, quem o achará?" (Pv 20:6)

A bênção da excelência deve ser impetrada sobre o noivo, para que se torne referência. E a Bíblia mostra que este homem precisa ter o amor de Cristo, que significa ser indesistível de sua noiva. Portanto, o homem de excelência deve ter:

1. A graça do Rei

Ter a graça do Rei significa estar pronto para salvar a noiva de qualquer situação difícil. Um exemplo: se a esposa compra algo sem entrar em acordo com o esposo, comprometendo as finanças da família praticou um grande ato de irresponsabilidade. Dizem que errar é humano... Acertar também! E acertar é mais humano que errar. Porém, o noivo que tem a graça do Rei protege a noiva nas situações mais difíceis e mais adversas. Se a noiva chegar a errar, ele deve estar disposto a ajudá-la, debaixo dessa graça do Rei.

2. A persistência do guerreiro 

Jesus é o Guerreiro incansável e luta pela Sua Igreja que, por sinal, dá muito trabalho para Ele. Porém, Jesus não desiste da Igreja por nada. E, para ser guerreiro, não importa a idade dos dois ou o tempo em que estão casados. Então, querido casal, jamais esqueça: Sua esposa ainda é a mulher da sua aliança. Seu marido ainda é o homem da sua aliança.

Essa persistência em guerrear não é fácil, porque o homem opta pela mediocridade, e a mediocridade é o espírito da desistência. Geralmente as pessoas não avançam em seus alvos e isso reflete o quanto são medíocres. Porém, como noivo de referência de excelência, você deve receber a unção de guerreiro pela sua noiva, para não incorrer em desistências quando vierem as adversidades em seu casamento.


A mulher de excelência
“Aquele que encontra uma esposa, acha o bem, e alcança a benevolência do Senhor.” (Pv 18:22)

A esposa é um bem muito precioso dado ao homem pelas mãos do próprio Senhor. Em Provérbios 31:10, a Bíblia declara: "Mulher virtuosa, quem a pode achar? Pois o seu valor muito excede ao de jóias preciosas". Em Rute 3:11, Boaz faz a declaração de que Rute é tudo de mais excelente que conhecera, e ele faz declarações de excelência, de nobreza para aquela mulher: "Agora, pois, minha filha, não temas; tudo quanto disseres te farei, pois toda a cidade do meu povo sabe que és mulher virtuosa". 

Todas as mulheres cristãs devem ser mulheres de excelência, as quais o Senhor tem reservado para essa geração, para contrariar o espírito maligno que está no mundo, em que as mulheres têm servido como outdoor do diabo, oferecendo-se ao sarkós, à carne.

Cremos que Deus tem levantado uma geração de mulheres nobres e de excelência, que, mesmo debaixo de vendavais, não negam o seu Deus e continuam fiéis ao Senhor em todos os seus caminhos. São mulheres que receberam uma unção de excelência para manter o casamento debaixo da integridade, da fidelidade.

A mulher é o adorno, a beleza do lar, para o marido e para os filhos. Por isso ela deve ser cuidadosa com a sua aparência, em como se apresentará para o marido, e o marido não pode viver preocupado em quanto investirá para que sua esposa esteja todo o tempo agradável. Ele é responsável para buscar de Deus condições para cuidar assim da esposa e investir nisso, porque sua esposa é um alto investimento.

O marido deve compreender que a esposa gosta de estar sempre bonita, sempre com uma roupa nova... são coisas inerentes à personalidade feminina. Está escrito em Ezequiel que a noiva estará sempre ornada, bonita. E o marido não vai querer chegar em casa e encontrar "qualquer coisa". Por isso, Deus lhe dará condições de "bancar" a sua noiva. Marido, tenha o entendimento de cuidar mais da sua esposa!

A mulher também precisa ter a sabedoria da edificação. Deus não deu essa função ao noivo. O noivo é a pedra e a noiva constrói sobre a pedra: "Tu és Pedro, e sobre esta pedra (Jesus, o noivo) edificarei a minha igreja" (Mt. 16:18). Jesus disse que Ele é a Pedra onde a Noiva – a Igreja – seria edificada.

A mulher é a figura da Igreja. Quem constrói sobre o noivo é a mulher, que possui um dom especial de Deus, porque o Senhor diz que "Toda mulher sábia edifica a sua casa; a insensata, porém, derruba-a com as suas mãos." (Pv 14:1). A mulher foi chamada para construir, porque tem a sensibilidade administrativa do lar.

Quando Deus criou a mulher, Ele a chamou para ser contígua, edificadora, idônea e um casamento não pode perder a idoneidade. Se a esposa não cumpre o seu papel, o casamento perde a idoneidade da promessa bíblica, assim como também o marido, se não cumprir seu papel, faz com que o casamento perca a idoneidade.

A mulher tem o dom do apascentamento; possui coração de pastora, o dom de arrebanhar, cuidar, orientar, de fazer a função do Paráclito – o Espírito Santo – que amamenta, consola, conforta, que conduz para a vitória.

Observando todos os tópicos deste estudo e do anterior, vemos que, dentro dessa convocação para uma aliança de excelência, Deus chamou a nossa geração para ser uma geração de excelência, que não está isolada da visão de família.

Para conquistarmos nossas vitórias, precisamos respeitar e entrar no plano familiar. Sua família viverá os princípios de excelência, uma aliança de vitória, guardando os princípios do Senhor e, nesta aliança, você terá a nobreza e a excelência.


Rene Terra Nova

Eu declaro que vou viver dias de alegria, de paz de saúde, de prosperidade, de amor. Nesses dias, o Senhor mudará a minha sorte e a minha boca se encherá de riso e minha família viverá o melhor de Deus. Em nome de Jesus!


10 de dezembro de 2012

Casamento: Uma aliança de excelência




“Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Pois se caírem, um levantará o seu companheiro; mas ai do que estiver só, pois, caindo, não haverá outro que o levante. Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só como se aquentará? E, se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; e o cordão de três dobras não se quebra tão depressa.” (Ec 4:9-12)

Deus é um Deus de aliança, e Ele mostra que todas as dificuldades e todas as crises e circunstâncias adversas na aliança serão vencidas através de Sua presença, a presença do Deus Todo-Poderoso.

O casamento foi criado por Deus, é uma aliança elaborada por Ele que aponta para a vinda do Senhor Jesus, com o noivo representando o Senhor e a noiva representando a Igreja, e sempre há a figura do Pai aconselhando os noivos para dizerem que chegará o dia das Bodas do Cordeiro.

Sabemos que Deus está presente na aliança do casamento. O texto de Eclesiastes 4:9-12 dá uma lista de exemplos de que os dois vencerão juntos e que o cordão de três dobras não se quebra facilmente. Há uma unção de graça e excelência no casamento para sustentar o casal nas situações mais adversas e para poder provar que, quando o Espírito Santo está presente na vida do casal, o cordão não se rompe.

Precisamos, dentro dessa realidade, ter uma linguagem irrepreensível e um comportamento de santidade na família, para que a nobreza e a excelência sejam impetradas na aliança do casamento.

Cuidados com a aliança

O casamento é uma aliança que, além de ter força, tem poder sobrenatural, porque está debaixo de um decreto sagrado irrevogável, por isso requer alguns cuidados.

1. O respeito mútuo

Às vezes, dentro do comportamento, as pessoas podem usar incompatibilidade de gênios e, daí, dissolver a aliança. Porém, uma aliança, quando impetrada nos corações do noivo e da noiva, deve-se levar a responsabilidade do respeito mútuo entre o casal, e caminharem juntos, solidificados nessa aliança, para que o cordão de três dobras não se rompa.

2. A consideração diária

Essa consideração é o resgate do romance no casamento. Ninguém, nem filhos, nem sogros, nem discipuladores, devem roubar o romance do casal, interferindo de forma errônea, com ingerências que não estejam debaixo de um conselho sagrado. Se um casal se mantiver debaixo da consideração diária, haverá o resgate da sensibilidade, da amabilidade, estarão se respeitando, considerando-se, resgatando o carinho a cada dia e o melhor é que, com o passar dos dias, não enfraquecerão a afetividade.


3. O amor incondicional

Não se ama parcialmente. Numa cerimônia de casamento, os noivos comparecem diante de três testemunhas fortíssimas: a social, a familiar e a sacerdotal, referendada pela Igreja. Essas três testemunhas estão presentes para ver que o casal fez uma aliança de amor incondicional, de suportarem um ao outro até o dia de Cristo Jesus. A Bíblia diz que o amor incondicional tudo suporta, tudo crê e tudo espera.

4. Disposição

Para uma aliança ser ajustada e considerada de excelência, é preciso muita disposição. A disposição de o marido estar todo o tempo trabalhando para fazer a esposa feliz e vice-versa. Afinal, quando casamos, não devemos ter o pensamento egoísta de casar para ser feliz. Casamos para fazer o cônjuge feliz. E, se eu cumpro o meu papel, é lógico que serei feliz, porque a outra pessoa cumprirá também o seu papel e estaremos caminhando debaixo da mesma bênção, do respeito mútuo.


Cuidados com os tempos "passado", "presente" e "futuro".

As ameaças do dia-a-dia podem enfraquecer os relacionamentos, porque essas ameaças trazem coisas perigosas para os noivos se estes não tiverem maturidade para administrar as situações e isso pode macular a aliança.

1. Passado

No casamento, os noivos são de culturas, ambientes e costumes diferentes e, agora, formarão uma nova cultura. Então, não podem ficar na referência do passado, senão correrão o risco de trazer máculas para o casamento. Devem ter o passado marcado com a graça do Senhor, que é melhor que a vida para adentrarem o altar apagando o passado, ratificando o presente, crendo que serão felizes, prósperos, um casal padrão com a expectativa de que conquistarão novos territórios e serão referencial para a Igreja.

2. Presente

O presente deve ser encarado com a dinâmica e a força. Os noivos devem ser trabalhadores e, assim, acumularão tesouros, serão prósperos tanto para si quanto para o Reino e para a família. Tudo o que fizerem deve ser feito com excelência e muita responsabilidade para viverem com riquezas em sua casa, honra dupla entre os seus e longevidade de dias para darem testemunho da graça do Todo-Poderoso em suas vidas.

3. Futuro

O futuro deve ser vislumbrado com projetos que sejam resultado de declarações de bênçãos, de vitórias. Esses projetos devem ser cumprimentos de profecias abençoadas, que nunca foram anuladas com afirmações contrárias. Como indivíduos interagidos com uma sociedade enferma, o nosso problema é que a nossa confissão errada do dia-a-dia anula as declarações de bênçãos. Todas as palavras ditas no cotidiano devem sempre ratificar uma sentença de vitória.


Cuidados com os procedimentos para a excelência

Deus não criou nenhum de nós para a escassez, a ruína, a pobreza e a miséria. Hoje, estamos resgatando a nossa história e a nossa sorte. Deus nos criou para a excelência, para tomarmos posse de tudo o que Ele mesmo, o Senhor, prometeu nos dar. E, para alcançarmos essa excelência, precisamos ter:

1. Linguagem irrepreensível

Precisamos ter uma linguagem irrepreensível, ratificando e sustentando a confissão da esperança.“...retenhamos inabalável a confissão da nossa esperança, porque fiel é aquele que fez a promessa...” (Hb 10:23)

2. Comportamento santo

Ter um comportamento santo não é fácil, assim como não é fácil manter uma relação santa. Porém, a Bíblia diz: “Honrado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; pois aos devassos e adúlteros, Deus os julgará.” (Hb 13:4). A Bíblia mostra em Isaías 6 que, para sermos santos na família, entramos em um nível de guerra espiritual familiar, enfrentamos um nível de guerra hereditária em que o inimigo não deve prevalecer.

Nós fomos chamados para fazer diferença, para ter uma linguagem irrepreensível e um comportamento de santidade em cada família, para que a nobreza e a excelência sejam impetradas na aliança do casamento. Manter essa linguagem e esse comportamento não é uma opção, é uma exigência da doutrina bíblica.

Rene Terra Nova


Eu declaro que vou viver dias de alegria, de paz de saúde, de prosperidade, de amor. Nesses dias, o Senhor mudará a minha sorte e a minha boca se encherá de riso e minha família viverá o melhor de Deus. Em nome de Jesus!


9 de dezembro de 2012

Hanukah: Um milagre à sua espera



A Festa de Hanukah fala da celebração do milagre. Tem sido espetacular entender, a cada ano, mais sobre essa Festa, saber como acende a Hanukiá (O Candelabro de Nove Hastes) e a importância das hanukioths (As luzes da Hanukah em todas as casas, e seu sinal espiritual). Como entender essa festa e trazer à memória os Milagres de Deus? 

Em Jerusalém, caminhei pelas ruas, vi casas celebrando Hanukah, o Milagre, e estive em uma delas, uma casa simples, mas singular. Alguns vibravam, dançavam, outros aplaudiam. Era clima só de festa, e em todo o tempo se dizia: o Milagre, o Milagre! Era algo simples, mas verdadeiro. Não é só religião, é conhecimento histórico, político, teológico, espiritual e profético. Das crianças que falam ao idoso mais experimentado, todos estavam celebrando ‘O Milagre’! Eles receberam presentes e comeram doce da Hanukah, o sonho com mel, que representa não deixar de crer nos novos milagres! Você quer saber quais são esses milagres? Vamos, antes, entender a história de Hanukah.

A história de Hanukah 

No ano 160 aC, os gregos dominaram Jerusalém e profanaram o Templo. Apagaram a Menorá, consumiram o óleo sacerdotal (a Primeira Prensa do Getsemani), profanaram o Altar sacrificando um porco e destruíram o lugar santo com profanações. Os Macabeus, família de Nobres e Sacerdotes, que se tornou uma dinastia poderosa, na pessoa de Judá Macabeus, levantou uma revolta, em nome da limpeza do templo. 

Nesse período, deram o nome dessa tomada de reinauguração do templo, dedicação, limpeza, purificação. Quando o templo estava tomado, foram acender a Menorá, mas não havia azeite para os sete dias, e não tinha como manter a Menorá acesa, pois o óleo sacerdotal só havia para um dia. Então, acenderam a Menorá e o resultado foi que o óleo para um dia ficou aceso oito, até chegar a nova prensa, e foi uma explosão de milagres. Israel recebeu nova credibilidade, a autoestima do povo explodiu de alegria, os rabinos recobraram sua fé, e começou o sinal do Milagre. Daí se instituiu a Festa da Dedicação. 

Oito bênçãos específicas do milagre

Os rabinos ficaram mais atentos ao Milagre da Unção, da Luz acesa durante os oito dias. Por isso, eles celebram e incentivam o povo a ver o que Deus faz quando Seus filhos estão em linha com a Palavra. O fraco fica forte, e o que não possui força recebe do Senhor a fortaleza. 

O Midrashi – Hermenêutica hebraica, vinda do Talmude – fala interpretativamente que o Milagre tem oito bênçãos específicas. Vejamos a interpretação da Festa das Luzes e suas proclamações. 

1. Força para Lutar: Vencer o inimigo forte com o Deus Todo Poderoso;
2. Fé para tirar o inimigo do Templo: O Templo não pode ser profanado;
3. Coragem para derrubar o adversário: Não deixar de pé a afronta da nossa casa;
4. Ação para limpar o templo e tirar suas contaminações;
5. Esperança para saber que Deus vai trazer capacitação e inimigo não voltar;
6. Estratégia para manter o templo limpo, e devolver os valores sagrados;
7. Decisão para acender a Menorá, para trazer a presença de Deus;
8. Manter o óleo para provisão: não deixar acabar a unção, responsabilidade. 

Uma festa que Jesus esteve presente

Apesar de não entrar no cânon, sabemos que essa Festa foi celebrada por Jesus ou, pelo menos, Ele Se fez presente nela. Leia o texto de João 10:22-42. Se Yeshua esteve em uma dessas Festas, o que Ele foi fazer lá? Gostaria de deixar claro que Ele estava fora do Templo, no Pórtico de Salomão, onde se colocava a Hanukiah, quando se completavam as sete luzes e acendia a oitava. Ele é a Menorá de sete hastes, e estava no lugar onde o testemunho era apresentado à sociedade, aos fiéis. Em outras palavras, Jesus denunciava que Ele era o Milagre que todos estavam precisando. Agora, com base nesse texto do Evangelho de João, veremos oito Milagres de Deus em nossas vidas. 

1. Revelar caráter de Filho (versos 24b e 25);
2. Denunciar que é do seu aprisco (versos 26 e 27);
3. Liberar vida eterna, salvação para os que Lhe seguem (versos 28 e 29);
4. Declarar a unidade do Pai e do Filho (versos 29, 30 e 38);
5. Mostrar os Milagres do Pai (verso 32);
6. Apresentar o Caráter de Filho (versos 33 a 36);
7. Receber livramento de morte, escapar das pedradas de morte, sem argumento (versos 31 e 39);
8. Voltar para o centro do propósito para levantar a multidão (versos 40 a 42). 
Um Milagre. Vemos que esses oito propósitos descritos acima revelam os milagres da Festa que Jesus deu sentido. 

Os milagres da independência, libertação e coragem

Podemos ver que na questão do entendimento espiritual, como poderia um fazendeiro, assim como Amós, sem nenhuma instrução de guerra, já invadido na sua privacidade, sem muita alternativa de vida, totalmente ameaçado pelos gregos invasores, ver que Deus poderia usar a vida daquele homem, Matitias, pai de cinco filhos, para matar o Etíoco Epifania, o líder dos gregos, que vinha com a estátua dos gregos, com os ídolos para profanar o templo? Judá, o Macabeu, filho do fazendeiro, o guerreiro, fez força e venceu os adversários que estavam dentro do templo. Ganharam a guerra e essa guerra foi um milagre. Eram apenas leigos, mas apaixonados. 

Todos os filhos de Matitias entraram e tomaram o templo. Simão, o mais velho, liderou posteriormente para manter o templo límpido, sem os invasores, e levantou aliados para essa grande obra. Um dos irmãos, Elezau, morreu no combate pisoteado por um grande elefante quando tentava flechar os inimigos. Até aos dias de hoje, a cidade de Midiã, Modiim, nome da cidade que significa, em hebraico, informação nos dias de hoje, mas nos dias dos Macabeus, Martelo e Coragem, pois se levantou uma dinastia, e eles reinaram em Jerusalém por não deixarem ninguém profanar o templo. 

É por isso que Hanukah também fala dos milagres da independência, libertação e coragem.

1. Inaugurar um novo tempo (I Coríntios 6:12-20);
2. Limpar o templo para Deus agir (I Coríntios 3:16-17);
3. Preparar a Menorá (vida) para receber a luz - OR (Luz) Completa (Mateus 5:12-16);
4. Restaurar o Templo para colocar a oferta do Messias (II Coríntios 6:16-18);
5. Acender a Luz para que fique exposta (Trazer para fora) (João 8:12);
6. Convocar pessoas para participarem dos milagres (Isaías 60:1);
7. Ter a luz para cada um, e proclamar os milagres (Lucas 8:16 e 11:33);
8. Manter comunhão para que o milagre perdure: Testemunho (Lucas 8:34:36).

Curiosamente, a festa dura oito dias. Os Rabinos colocam nas ruas suas tendas, similares ao tabernáculo, pois por longos anos, antes da revolta e da purificação, Israel ficou sem poder festejar a Festa dos Tabernáculos, e nos dias da Festa, os bairros e cidades mais atentas colocaram as tendas, como uma paga de dívida, pelo tempo que ficaram sem celebrar a Festa. Daí se faz as duas Festas juntas, com a Hanukiá acesa, com a lâmpada para cada dia. E Israel pára para agradecer a Deus a sua independência das mãos dos seus adversários. 
Nestes dias, devemos parar para dizer a Deus: ‘Muito obrigado pelos milagres da Salvação, por Yeshua ser nossa Menorá dos sete dias e ter o OR, luz completa para todas as adversidades, por sermos independentes das garras do inimigo, e termos do Senhor o óleo sacerdotal para mantermos nossa Menorá acesa e ninguém apagar a luz que alumia a todo o homem’. 

Dezembro é o mês de gerar milagres e de vermos as bênçãos de Deus reveladas na nossa vida. Chegou a hora de vermos Deus fazendo o maior milagre da história, salvando vidas através de nós. Nos próximos nove meses, muitos estarão contemplando o que Deus fez e o que Deus fará! Você crê nesses milagres? Então, desde Jerusalém, eu proclamo: Receba!

Feliz Festa! Hag Sameah! Feliz Hanukah! 

Apóstolo Renê Terra Nova


Eu declaro que vou viver dias de alegria, de paz de saúde, de prosperidade, de amor. Nesses dias, o Senhor mudará a minha sorte e a minha boca se encherá de riso e minha família viverá o melhor de Deus. Em nome de Jesus!


Guerra espiritual no plano familiar - Parte 2



Guerra espiritual no plano familiar - Parte 2

Muitos dos nossos irmãos são "Lós". Devemos guerrear pela causa deles. Nosso coração deve se mover em compaixão e responsabilidade por nossos irmãos. Estamos em guerra, mas numa certeza de que a bandeira da vitória já foi arvorada em nosso favor e somos vitoriosos. Ainda que um membro da sua família não esteja tão correto, você precisa acreditar e fazer guerra para libertá-lo.

O vício, as drogas, o álcool não são maiores do que a promessa de Deus. A escravidão do pecado não é maior do que a promessa de Deus. Se estivermos andando rigorosamente na Palavra e se entrarmos numa guerra espiritual pela nossa família, não haverá demônio que resista a um guerreiro de Deus.Você é esse guerreiro, chamado VENCEDOR. O Grande Guibor está à sua frente, guerreando as suas guerras e as suas batalhas e você não será envergonhado neste processo. Você tem a vitória na autoridade do Senhor Jesus Cristo.



Guerreando pelos familiares

Abraão e Ló estavam distantes, mas Abraão sabia que possuíam o mesmo sangue e uma ligação familiar. Estavam separados no sentido físico, e ainda que Ló estivesse longe, corria nas suas veias a fé do Patriarca.Ainda que um membro da nossa família não esteja no caminho do Senhor, devemos guerrear para que ele entre nesse caminho. Mas, se já está no caminho e é totalmente apático, vamos fazer uma guerra profunda para que ele se transforme num homem ou mulher consagrados e cheios do Espírito Santo.E, se já é consagrado, a guerra não acabou. Entramos em guerra para que se torne cada dia mais santo, mais cheio do poder, da autoridade do Senhor Jesus Cristo. A guerra começou, mas não tem fim. Até o dia de Cristo de Jesus, vamos guerrear pelo caráter da família.Devemos orar e guerrear em todo o tempo. Não existe nenhuma promessa de restauração de coração na Bíblia que não envolva o coração da família. Vejamos algumas:“Abençoarei aos que te abençoarem, e amaldiçoarei àquele que te amaldiçoar; e em ti serão benditas todas as famílias da terra.” (Gn 12:3)“E santificareis o ano qüinquagésimo, e apregoareis liberdade na terra a todos os seus habitantes; ano de jubileu será para vós; pois tornareis, cada um à sua possessão, e cada um à sua família.” (Lv 25:10)“Como o rebanho para os sacrifícios, como o rebanho de Jerusalém nas suas solenidades, assim as cidades desertas se encherão de famílias; e saberão que eu sou o Senhor.” (Ez 36:38)“Naquele tempo, diz o Senhor, serei o Deus de todas as famílias de Israel, e elas serão o meu povo.” (Jr 31:1)Além dessas, existem outras inúmeras passagens que trazem promessas para a família.


Um novo coração para a família

Malaquias 4:6 é o último versículo do Antigo Testamento e o Senhor diz: "...e ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais; para que eu não venha, e fira a terra com maldição". É uma promessa para a família e para uma nação. Isto mostra Deus se importando com a família, para que a Terra seja curada.Deus mesmo dará um coração novo para a família, porque, se a família vai bem, nada vai mal; se a família vai mal, nada vai bem. Como vai a sua família? Se estiver bem, ficará melhor. Se estiver mal, ficará bem. O diabo não roubará a sua herança. Não fique omisso, nada é maior do que a promessa de Deus. Entre em guerra. Creia que há um acréscimo de mudança para um degrau a mais.Sair dos princípios de Deus é estar em uma guerra espiritual sem condições de vitórias. A escolha pessoal pelos atrativos dos sentidos naturais nos leva para o centro da guerra e, conseqüentemente, fora dos princípios, ficamos escravos. Ló se separou de Abrão e foi para Sodoma. Aconteceu uma guerra de cinco reis contra quatro. Ló estava no meio daqueles povos em guerra e, como conseqüência, ficou escravo.Quando rompemos com os princípios espirituais e entramos na questão da escolha do nosso coração, que a Bíblia chama de concupiscência dos olhos, concupiscência da carne e soberba da vida (I Jo 2:16), somos seduzidos pelo que é efêmero, natural, físico, e sofreremos as conseqüências, com certeza. Foi o que aconteceu com Ló. Ele vivia apenas no físico. Abraão era esperto, não perdia a visão do físico, mas estava no plano espiritual. Conquistava primeiro no plano espiritual.Em Gênesis 14:12-13, Ló foi apanhado e preso; os reis levaram-no cativo e ele ficou atado debaixo da autoridade daqueles reinos. A palavra que aparece ali é "potestades", "organizações de autoridade". Não eram principados de demônios; eram como se fossem reis, organizações maiores que prenderam Ló, que era uma semente de Abraão solto nas proximidades daquela terra, sem direito de entrar nela.E, como Deus não isolou Ló do coração de Abraão, porque Abraão tinha aliança com Deus, Abraão cresce mais ainda com Deus e possui uma experiência profunda com o Senhor (Gn 14). Porém, acontece uma guerra de cinco reinos contra quatro. Não há detalhes da guerra, mas se menciona que Ló foi levado como prisioneiro. E a notícia chegou aos arraiais de Abraão: "Ló, o teu irmão, foi preso".Todos nós somos criaturas de sentimentos, e os pastores de Ló causaram um grande problema para Abraão, que poderia muito bem dizer: "É, Ló está preso. Problema dele, quem planta colhe". Mas, os emissários que escaparam da guerra correram até Abraão e disseram que o irmão deste estava nas mãos dos inimigos. Abraão cuidou de montar uma estratégia para libertá-lo.


Organizar estrategicamente para vencer a guerra familiar

O Senhor nos chamou para organizar uma estratégia de libertação específica para cada pessoa, porque cada pessoa tem o sentimento diferente. Precisamos organizar uma estratégia de libertação para vencer a imoralidade, o roubo, a idolatria, a feitiçaria, o paganismo. Abraão poderia deixar Ló cativo, sem se importar se o sobrinho estava preso ou não. Mas, ele teve compaixão para sarar o seu irmão e se apressou para libertá-lo.“Ouvindo, pois, Abrão que seu irmão estava preso, levou os seus homens treinados, nascidos em sua casa, em número de trezentos e dezoito, e perseguiu os reis até Dã.” (Gn 14:14). Observamos que os servos nascidos na casa de Abraão foram convocados para a guerra. Devemos chamar para a guerra as pessoas que têm o mesmo sentimento, as nascidas em nossa casa.Todos os que foram guerrear a favor de Ló, para resgatá-lo da mão do inimigo, eram conhecidos dele. Lendo os capítulos 13 e 14, vemos que foi organizada uma estratégia espetacular. Eles despojaram o inimigo de tal forma que no fim Abraão ficou ainda mais rico! E Ló estava liberto, para glória de Deus Pai.Quantos membros da nossa família estão na mão do diabo e nós ficamos relaxados. E quantas pessoas caminham no reino, mas ficam totalmente descompromissadas com Deus, só porque ficaram decepcionadas com alguém da Igreja, e acabam generalizando, estendendo a decepção para todos os crentes que conhecem.O que precisamos é restaurar nossa alma. Algumas pessoas, com mais exemplos bons do que ruins, por causa de um único acontecimento passado ou de uma interferência maligna, não deslancham na fé, porque Satanás encontrou uma brecha de sensibilidade e fica amarrando essas pessoas.É preciso lançar qualquer argumento desses tipos para longe de você e deixar que o sentimento da glória de Deus, o sentimento de filhos de adoção, pelo qual podemos chamar "Papaizinho", entre no seu coração e faça você andar em novidade de vida. Sabemos que muitos dos nossos irmãos são como Ló e que devemos guerrear pela causa deles. Para isso, a unção que estava sobre Abraão deve vir sobre a nossa vida para que possamos resgatar esses queridos.Jesus disse: "Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sois meus discípulos (Jo 8:31)”. Jesus é da semente de Abraão, e quem está em Jesus está na semente de Abraão. A semente de Abraão, o Pai da fé, está dentro de você. Vamos libertar nossa família debaixo da unção da fé. Deus nos chamou para tirarmos nossos irmãos das mãos do inimigo. Somos responsáveis por isso.

Renê Terra Nova

Eu declaro que vou viver dias de alegria, de paz de saúde, de prosperidade, de amor. Nesses dias, o Senhor mudará a minha sorte e a minha boca se encherá de riso e minha família viverá o melhor de Deus. Em nome de Jesus!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pense

Momentos difícies em nossas vidas podem acontecer a qualque momento. Mas será que sabemos como vamos passar por eles?
Deus amou tanto o mundo de tal que enviou Jesus, através de sua obra redentora podemos alcançar a vitória em todas as áreas de nossas vidas. Restauração familiar, restauração de vidas. Deus quer transformar suas cinzas em Beleza.

"O Espírito do Soberano Senhor está sobre mim porque o Senhor ungiu-me para levar boas notícias aos pobres. Enviou-me para cuidar dos que estão com o coração quebrantado, anunciar liberdade aos cativos e libertação das trevas aos prisioneiros,para proclamar o ano da bondade do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; para consolar todos os que andam tristes,e dar a todos os que choram em Sião uma bela coroa em vez de cinzas, o óleo da alegria em vez de pranto, e um manto de louvor em vez de espírito deprimido. Eles serão chamados carvalhos de justiça, plantio do Senhor, para manifestação da sua glória. Is 61.1-3".